:Alan recebe convite da Áustria, mas pode perder cidadania brasileira

Alan recebe convite da Áustria, mas pode perder cidadania brasileira - TV Na Rua CornelioDigital Alan recebe convite da Áustria, mas pode perder cidadania brasileira - TVNaRua Cornelio Digital - Notícias, Eventos e Entretenimento
Alan recebe convite da Áustria, mas pode perder cidadania brasileira

Autor de 36 gols em 46 partidas na última temporada, ex-atacante do Fluminense, atualmente no RB Salzburg, ainda sonha com chance na Seleção: "Não custa nada"

O atacante Alan, do RB Salzburg, vive um dilema na carreira. Destaque na Áustria, onde marcou 36 gols em 46 jogos na última temporada, o ex-jogador do Fluminense recebeu o convite para defender a seleção local. Mas a decisão não é fácil: obter a nacionalidade austríaca pode significar perder a cidadania brasileira. Justo no momento em que a Seleção vive uma reformulação e busca novos nomes para o time, principalmente no setor ofensivo. 

Segundo a embaixada do país europeu, como Alan não nasceu na Áustria nem tem ascendência, não está qualificado para obter dupla nacionalidade. A única maneira de ser austríaco seria entregar o passaporte brasileiro. Algo que não anima muito o jogador.

Porém, com o novo projeto liderado por Dunga, a esperança de defender o Brasil se renovou. Alan já atuou pela Seleção sub-20, marcando dois gols em três partidas, e agora sonha com uma chance na equipe principal.

Muita calma nessa hora: Alan quer esperar Seleção antes de aceitar convite e defender a Áustria (Foto: Getty Images)

O retrospecto recente é encorajador, mas ele é consciente de que o fato de atuar numa liga de menor expressão joga contra. A grande vitrine é a Liga dos Campeões, na qual o Salzburg luta nas preliminares para chegar à fase de grupos. Assim, Alan terá uma última prova para poder se candidatar definitivamente à camisa canarinho.

- A esperança é a última que morre. Eu fiz uma temporada muito boa no último ano. Se Deus quiser vou manter isso agora. Se conseguirmos ir para a Liga dos Campeões e eu ir bem... Não custa nada sonhar. 

Confira na íntegra a entrevista com Alan:

GloboEsporte.com: Você vem sendo cotado para defender a seleção da Áustria. Como está a situação?

Alan: O presidente da federação e o treinador da seleção marcaram uma reunião para conversar comigo e perguntaram o que eu achava de me naturalizar. Eu falei que jogando aqui (na Áustria) achava meio difícil ir para a seleção brasileira. Mas ainda tem tempo. Mesmo se eu aceitar o convite, só poderei jogar em 2015. Até lá, quero deixar em aberto, caso eu receba uma chance na Seleção.

Também existe o problema da cidadania...

Aqui na Áustria eles têm uma legislação que prevê que, se você pegar o passaporte austríaco, depois de dois anos tem que entregar o brasileiro. Se fosse assim, eu não aceitaria, porque quero manter minha nacionalidade brasileira. Eles estão correndo atrás para ver se eu consigo ficar com os dois passaportes. Se eu puder, quero ficar com os dois.

O que sua família achou dessa possibilidade de perder a cidadania brasileira?

No começo foi muito engraçado, porque minha família não acreditava muito. Eu também fiquei meio assim quando surgiram os boatos. Mas quando foi oficializado a gente ficou feliz, porque é um reconhecimento do meu trabalho. Quero muito poder representar minha nação, mas, se não for possível, que seja pela Áustria, que me acolheu bem. 

Alan comemora gol pelo Salzburg: foram 36 na última temporada (Foto: Site oficial RB Salzburg)

E como é a seleção austríaca? Tem alguma influência dos alemães?

É aquele negócio, mais futebol europeu, muita força. Eles são aplicados taticamente, marcam bem, mas, na técnica, é um pouco diferente (risos), não há muita influência da Alemanha. A Áustria tem uma seleção bastante jovem.

Com a reformulação na Seleção, muito tem se falado sobre a falta de opções no ataque e a necessidade de olhar para ligas e clubes de menor expressão. Isso te faz sonhar com uma chance?

Com certeza. A esperança é a última que morre. Eu fiz uma temporada muito boa no último ano, se Deus quiser vou manter isso agora. Se conseguirmos ir para a Liga dos Campeões e eu ir bem... Não custa nada sonhar.

Na última passagem, o Dunga apostou em alguns nomes menos conhecidos, como o Afonso Alves. Mas há sempre uma resistência com jogadores que atuam em centros não tão famosos. Como você vê isso?

Não tem jeito. Se você joga num clube grande, todo mundo está acompanhando. Sempre vai haver a desconfiança, mas eu acho que só dá pra dar a resposta se eu tiver alguma chance. O Roberto Firmino (atacante do Hoffenheim) mesmo, aqui para mim já não é surpresa, todo mundo fala bem na Alemanha, vem jogando bem.

Você vê a Champions como sua principal vitrine?

Com certeza, até por estar numa liga que não é tão reconhecida mundialmente. Acho que a Champions é a minha única chance. Meu time é muito novo, mas tem futebol para surpreender. Ano passado fomos bem na Liga Europa, eliminamos o Ajax. A gente tem tudo para chegar à fase de grupos, e, aí, espero conseguir manter o nível.

Alan tenta finalização de voleio (Foto: Reprodução / Site Oficial RB Salzburg)

 

Ir para uma liga maior não seria uma forma de aparecer mais?

Eu sou o tipo de pessoa que procura pensar muito no momento. Lógico que tenho o sonho de ir para uma grande liga, jogar um grande campeonato, mas isso vai ser consequência se eu fizer um bom trabalho agora nesta temporada. Claro que se eu estiver numa liga maior a chance de aparecer é muito maior.

Você fez uma grande temporada, chegou a brigar por Chuteira de Ouro. Houve sondagem de outros clubes?

Para mim não chegou nada, talvez tenha chegado para o clube. Mas o diretor daqui já falou que não adianta chegar nada. Muitos jogadores se destacaram na Liga Europa, mas o clube já falou que não vai vender ninguém agora, porque tem o objetivo de jogar a Liga dos Campeões.

Como você se sente tendo se destacado na última temporada, mas não ter aparecido tanto?

Eu sou bem tranquilo. Como eu disse, as coisas acontecem naturalmente. Eu fiz uma ótima temporada, fiz bastante gol, mas estou feliz só por poder jogar futebol. Há dois anos eu tive uma lesão no joelho direito, e essa temporada agora foi a primeira que consegui jogar inteira. Isso, para mim, foi muito bom, pelo simples fato de fazer o que mais gosto. Agora quero dar uma sequência maior.

Atacante tem convite para defender a seleção da Áustria (Foto: Agência AFP)

Visualizações 588
Fonte: Globo Esporte
Por: Antonio Delvair Zaneti
Data: 26/07/2014 02h14min

« anteriorpróximo »
Hospital do Câncer de Londrina


CONTATO
contato@nossoclick.com
antonio.zaneti@gmail.com
(43)99920-1893



TV Na Rua / CornelioDigtal / BandDigital- 2007 - 2014