:Homem morre após ser baleado por PM na Zona Norte do Rio

Homem morre após ser baleado por PM na Zona Norte do Rio - TV Na Rua CornelioDigital Homem morre após ser baleado por PM na Zona Norte do Rio - TVNaRua Cornelio Digital - Notícias, Eventos e Entretenimento
Homem morre após ser baleado por PM na Zona Norte do Rio

Homem morre após ser baleado por PM na Zona Norte do Rio

Um homem identificado como Reginaldo Avelar Porto, de 38 anos, morreu após ser baleado por um tiro de fuzil na Avenida Marechal Rondon, Zona Norte do Rio. Segundo a Polícia Militar, o agente da UPP São João tentava separar uma briga em um lava-jato quando a arma disparou acidentalmente. O homem atingido foi socorrido ao Hospital Municipal Salgado Filho, onde veio a óbito.

"Eu só quero acordar deste pesadelo ": diz pai de criança de quatro anos baleada na cabeça

Gabriel Monteiro: após morte de ex-assessor, membro do Conselho de Ética pede reforço na segurança

Após o episódio, moradores da região realizam um protesto na Avenida Marechal Rondon. De acordo com o Centro de Operações do Rio, a via está interditada na altura da rua Souto Carvalho.

O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios e o corpo passará por uma necrópsia. Segundo um familiar, que pede para não ser identificado, Reginaldo trabalhava como caseiro durante a semana era acompanhante de idosos, voltando para casa apenas na sexta-feira. Ele deixa um filho de 14 anos.

— O que sei até agora é que ele foi separar uma briga. O policial também foi, a arma dele disparou e acertou no peito do meu irmão. Ele saiu para trabalhar, deixou um filho em casa e acontece uma coisas dessas? É revoltante. Não acredito em um acidente pegando o tiro no peito de uma pessoa.

Violência: Comerciante é baleado em São Gonçalo durante tiroteio; um suspeito morreu

Alta tecnologia: Traficantes instalam câmeras escondidas em postes para monitorar rotina da polícia em Angra

Familiares ainda reclamam da falta de apoio do governo estadual. Segundo a família de Reginaldo, até o momento apenas a Comissão de Direitos Humanos da OAB prestou auxilio:

— É um descaso total com a gente. A família está destruída. Tiraram mais um da nossa família, um trabalhador, é inadmissível.

De acordo com Vanessa Figueiredo Lima, advogada da Comissão de Direitos Humanos da OAB, a família agora busca saber o que ocorreu com Reginaldo.

— A família acredita que atiraram diretamente no Reginaldo, mas vamos apurar no local o que aconteceu. A Polícia Militar ainda não entrou em contato conosco. A investigação cabe à polícia civil e esperamos que a família encontre respostas já que há uma divergência entre os relatos do local e nota da Polícia Militar — diz.

''

Visualizações 36
Fonte: O Globo
Por: Redao
Data: 06/06/2022 19h57min

Hospital do Câncer de Londrina


CONTATO
contato@nossoclick.com
antonio.zaneti@gmail.com
(43)99920-1893



TV Na Rua / CornelioDigtal / BandDigital- 2007 - 2014