:Aracy Balabanian morre aos 83 anos

Aracy Balabanian morre aos 83 anos - TV Na Rua CornelioDigital Aracy Balabanian morre aos 83 anos - TVNaRua Cornelio Digital - Notícias, Eventos e Entretenimento
Aracy Balabanian morre aos 83 anos

Aracy Balabanian interpretou personagens marcantes na televisão brasileira, como Cassandra em "Sai de baixo " e Dona Armênia em "Rainha da sucata ". Artista morreu aos 83 anos, vítima de câncer de pulmão

A atriz Aracy Balabanian — Foto: Divulgação/TV Globo

A atriz Aracy Balabanian morreu, aos 83 anos, na manhã desta segunda-feira (7). A artista, que havia sido diagnosticada com câncer de pulmão no fim do ano passado, estava internada na Clínica São Vicente, na Gávea, na Zona Sul do Rio de Janeiro. A notícia foi confirmada por familiares e amigos.

Conforme noticiado pela coluna Play, o velório da atriz será realizado em um teatro no Rio de Janeiro e aberta ao público. O corpo da artista será cremado e essa cerimônia, no entanto, será restrita para familiares e amigos.

Quem foi Aracy Balabanian?

Natural de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, Aracy Balabanian estreou na televisão em 1965 ao protagonizar "Antígona", de Sófocles, numa versão teleteatral pioneira da TV Tupi. Antes disso, a então jovem artista — formada pela Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo (USP) — se destacou pela atuação nos palcos em espetáculos do grupo Teatro Brasileiro de Comédia, o TBC. De lá pra cá, ela sempre se dividiu entre os tablados e os estúdios televisivos.

Resistência entre a família

A artista apenas teve a aceitação do pai — a família, oriunda da Armênia, não aprovava sua incursão pelas artes — após estrelar "Antônio Maria" (1968), novela da TV Tupi em que contracenava com Sérgio Cardoso. Filha de imigrantes, Aracy teve a paixão despertada pelo teatro ainda criança, quando já morava em São Paulo e foi levada pelas irmãs mais velhas para assistir a uma peça de Carlo Goldoni com a companhia de Maria Della Costa. "Chorei muito. Estava emocionada porque era aquilo que eu queria. É muito difícil para uma criança de 12 anos, ainda mais naquela época, querer ser atriz e já perceber que ia ter muitas dificuldades", relembrou, ao site "Memória Globo". "Comecei numa época em que não era bonito fazer televisão, nem teatro", acrescentou.

Entre os folhetins em que atuou, destacam-se títulos como "Corrida de ouro" (1974), "Bravo!" (1975), "O Casarão" (1976), "Coração alado" (1980), "Locomotivas" (1986), "Rainha da sucata" (1990) — que lhe rendeu sua personagem mais famosa, a mãe super protetora Dona Armênia — e "A próxima vítima" (1995), além do programa infantil "Vila Sésamo" (1972), todos exibidos pela TV Globo.

Aracy Balabanian fez Cassandra, em "Sai de baixo "

Mais recentemente, a atriz chamou atenção ao interpretar a divertida socialite Cassandra, em "Sai de baixo", seriado de humor criado por Luis Gustavo e Daniel Filho, e que ficou no ar, na TV Globo, entre 1996 e 2002. A atração fez sucesso entre diversas gerações e cristalizou seu nome entre um público amplo, devido às constantes reexibições do programa. "Eu me vi fazendo uma coisa que é o sonho de todo ator: teatro e televisão, ao mesmo tempo. Só que era um espetáculo ensaiado numa tarde", relembrou ela, ao falar sobre o trabalho no sitcom — gravado ao vivo num teatro — em que contracenava com nomes como Miguel Falabella, Marisa Orth e Luis Gustavo.

A proposta da atração era mesmo incorporar todos os imprevistos e improvisos que poderiam ocorrer em cena, algo que Aracy lidava com certa dificuldade, como a própria admitia. "Marisa Orth e eu fomos as primeiras a chegar para o Daniel Filho e dizer: "Não vai dar, tira a gente ". Mas eu acho que nós fomos ficando sem-vergonhas e descobrimos que o público gostava mesmo era de nos ver errar. Quando passou esse susto de "não podemos errar ", a gente se divertiu muito", relembrou, em entrevista recente.

Quais novelas Aracy Balabanian fez?

Nas duas últimas décadas, após o fim de "Sai de baixo", a atriz integrou o elenco de novelas na TV Globo, entre elas "Da cor do pecado" (2004), "A lua me disse" (2005), "Eterna magia" (2007), "Passione" (2010), "Cheias de charme" (2012), "Saramandaia" (2013), "Geração Brasil" (2014) e "Sol nascente" (2016). Ela demonstrava que interromper a carreira não era uma opção.

"Sou preocupada com a idade, a saúde... Mas acho que é o agora que é importante, porque esse agora é que vai ser para sempre. É o que a gente não vai esquecer", afirmou, em entrevista ao programa "A arte do encontro", em conversa com Tony Ramos, há dois anos. "A arte existe, pois a vida tem que ser entendida. A gente não entenda do que acontece, né? E a arte, essa fantasia, esse brinque, esse lúdico, explica um pouco a vida e por que existimos uns para os outros. Acho que a arte é a explicação da vida", disse, à época.

"Quando vou a um teatro e há a catarse, e a gente se identifica com o espetáculo, saio de lá tão aliviada...! E é porque o espetáculo explicou alguma coisa da existência. Fiz uma peça muito difícil com a Nicette Bruno, e que se chamava "Boa noite, mãe ", sobre uma suicida que se preparava para se matar, avisando a mãe que se mataria em determinado horário. Era uma peça pesada, difícil. E, quando terminava a sessão, as pessoas saíam do teatro muito tocadas, e nós duas íamos passear. Íamos comer macarronada, porque acontecia alguma coisa nas nossas vidas. A gente se aliviava e ia comer macarronada, feliz da vida! E às vezes eu me sentia até culpada. Mas nós, que levávamos aquela mensagem, saíamos do teatro compensadas, loucas para passear. Então é isto: acho que a arte é a explicação da vida", afirmou.

Aracy Balabanian descobriu paixão pelo teatro

A paixão pelo ofício nos teatros era cultivada, com vigor, desde a adolescência. Aos 14 anos, Aracy Balabanian viu uma palestra de Augusto Boal, então diretor do Teatro de Arena, no Colégio Bandeirantes, onde estudava. Uma chave foi acionada ali, como a própria costumava recordar. Convidada pelo dramaturgo, ela realizou um teste e entrou para o Teatro Paulista do Estudante.

A primeira montagem com o grupo foi "Almanjarra", de Arthur Azevedo, que lhe rendeu elogios dos críticos Décio de Almeida Prado e Sábato Magaldi. "Eles escreveram uma crítica que terminava dizendo: "Aracy Balabanian: guardem esse nome ". Eu fiquei possuída", rememorou a atriz, ao "Memória Globo". Aos 18 anos, prestou vestibular para a Escola de Arte Dramática de São Paulo e também para Ciências Sociais, na USP, atendendo ao desejo de seu pai. Mas logo abandonou o último curso para se dedicar às artes cênicas.

Quantos filhos tem a atriz Aracy Balabanian?

Aracy optou em não se casar e não ter filhos, para dedicar-se totalmente à carreira.

Artistas e políticos homenageiam Aracy Balabanian

Miguel Falabella, que contracenou com ela em "Sai de baixo", de um dos primeiros a postar sua despedida.

"E então você se foi, assim, nesse dia ensolarado, como são ensolaradas as lembranças que invadem a minha cabeça, num jorro incessante, ainda que meu coração esteja nublado. Minha amada Aracy, minha rainha, atriz de primeira grandeza, companheira irretocável, amor de muitas vidas. Obrigado pela honra de ter estado ao seu lado exercendo nosso ofício, obrigado pelo afeto, pelos conselhos, pelas gargalhadas e pela vida que você tão delicadamente me ofereceu. Consola-me saber que estaremos para sempre juntos em alguma reprise de uma futura sessão nostálgica. Te amo para sempre. Até um dia!"

Miguel Falabella fez post de homenagem para Aracy Balabanian — Foto: Reprodução/Instagram

Claudia Raia postou foto e vídeo da atriz conhecendo seu filho mais novo, Luca:

"Aracy sempre foi uma amiga maravilhosa, uma artista gigante e talentosa. A arte brasileira perde muito com a sua partida, mas sem dúvidas, recebemos hoje um grande legado.

Ela será sempre nosso tesouro nacional, obra prima de pura devoção ao seu ofício. Que alegria ter encontrado sua alma nessa vida, que honra compartilhar um pouco do meu caminho com o seu! Que o céu te receba com todos os aplausos e que a falange dos artistas te acolha com muito amor.

Te amo para sempre minha amiga, te reencontro na próxima vida", escreveu Claudia.

Claudia Raia e Aracy Balabanian — Foto: Instagram

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, relembrou uma história de juventude que viveu com a atriz.

Visualizações 110
Fonte: G1
Por: Reda��o
Data: 07/08/2023 16h18min

Hospital do Câncer de Londrina


CONTATO
[email protected]
[email protected]
(43)99920-1893



TV Na Rua / CornelioDigtal / BandDigital- 2006 - 2023