:Alunos da DSA Desenvolvem Solução de IA Que Pode Revolucionar o Judiciário

Alunos da DSA Desenvolvem Solução de IA Que Pode Revolucionar o Judiciário - Cornélio Digital - O Portal de Cornélio Procópio e Região
Alunos da DSA Desenvolvem Solução de IA Que Pode Revolucionar o Judiciário

Inteligência Artificial desenvolvida por alunos da Data Science Academy no TJRO – Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia – pode revolucionar o Judiciário.

Sinapses, este é o nome do sistema que faz uso de redes neurais, desenvolvido por analistas do Tribunal de Justiça de Rondônia, com potencial para revolucionar o Judiciário brasileiro. Projetado para atender qualquer tribunal, o sistema em funcionamento desde fevereiro, já apresenta mostras do seu potencial.

A agilidade processual do Judiciário rondoniense, por meio de inovações tecnológicas, meta principal da gestão do desembargador Walter Waltenberg, presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, conta agora com a aplicação da Inteligência Artificial – IA, uma ferramenta que, entre tantas funcionalidades, é capaz de definir o movimento processual adequado, conforme a produção do texto.

Em fevereiro deste ano, o Núcleo de Inteligência Artificial, formado pelos analistas Alcides Fernando, Pablo Moreira e Mikaell Araújo (todos os três alunos da Formação Cientista de DadosFormação Inteligência Artificial da Data Science Academy), criou o primeiro produto com aplicação no processo para definir o tipo de movimento do magistrado, utilizado no âmbito do TJRO.

Dois robôs foram criados com o uso da Inteligência Artificial. Os nomes Sinapses e Cranium são em alusão ao processo cognitivo humano e pelo fato das tecnologias fazerem uso de Redes Neurais Artificiais no processo de aprendizagem e predição (capacidade de antecipar o que será utilizado no sistema ou texto).

A arquitetura dos dois robôs foi pensada de maneira que eles possam ser utilizados para qualquer finalidade, necessitando apenas que modelos de aprendizado sejam inseridos em sua base, dando, assim, a capacidade de predição de cada assunto ou área específica, indo além da área judiciária e possibilitando o seu uso também na área administrativa (SEI, RH, Licitação).

Os modelos preditivos em uso atual e futuro pelo PJRO podem, de forma transparente, ser usufruídos por outros tribunais, independentemente do sistema judiciário que façam uso e sem necessidade de investimento em infraestrutura ou novos sistemas, visto que podem ser consumidos de forma nativa, por meio das APIs disponibilizadas pelo Sinapses.

A aplicação foi desenvolvida em Java, Python e Angular6 e foi modelada para que o processo de extração de dados, treinamento e predição fosse automatizado, com foco nos modelos de inteligência. Uma vez criado um modelo específico, e atingida a acurácia desejada, ele passa a operar em produção respondendo através de webservice. Em suma, foi criado um ecossistema que funciona e interage da mesma forma que o Watson/Alexa/GoogleAI. Desta forma a solução se tornou totalmente escalonável, acoplável a qualquer sistema que precise interagir com a IA em busca de um serviço.


Aqui

Visualizações 183
Fonte: Equipe DSA
Por: Redao
Data: 25/06/2018 12h36min

Hospital do Câncer de Londrina


CONTATO
contato@nossoclick.com
antonio.zaneti@gmail.com
(43)99920-1893



TV Na Rua / CornelioDigtal / BandDigital- 2007 - 2014