:"Membro expulso da Maçonaria tenta reverter decisão na Justiça"

"Membro expulso da Maçonaria tenta reverter decisão na Justiça" - TV Na Rua CornelioDigital "Membro expulso da Maçonaria tenta reverter decisão na Justiça" - TVNaRua Cornelio Digital - Notícias, Eventos e Entretenimento
"Membro expulso da Maçonaria tenta reverter decisão na Justiça"

BRIGA ENTRE “IRMÃOS”

Membro expulso da Maçonaria tenta reverter decisão na Justiça

Nos autos, o autor diz ter sofrido perseguições, humilhações e constrangimentos no âmbito da sociedade

Por considerar que o inquérito penal maçônico ao qual foi submetido utilizou provas ilícitas, o ex-membro de uma Loja Maçônica gaúcha buscou a Justiça para considerar nula sua expulsão da sociedade. Requereu, ainda, a declaração de inconstitucionalidade de atos e normas de leis maçônicas, além do pagamento de mil salários-mínimos a título de danos morais, por parte da associação e de dois dirigentes. 

Nos autos, o autor sustentou que o inquérito desrespeitou regulamentos da instituição. Alegou, também, que sofreu perseguições, humilhações e constrangimentos no âmbito da sociedade. 

Em contrapartida, os réus afirmaram que as leis maçônicas servem para regulamentar o comportamento social, mantendo as tradições, costumes e a orientação filosófica da Maçonaria, sendo de aplicação exclusiva da instituição. O processo interno ao qual o autor da ação foi submetido teria respeitado o devido processo legal, sendo respeitados os princípios constitucionais da ampla defesa e do contraditório. 

A parte contrária também negou que tenha havido perseguição pessoal ao, agora, ex-membro, tendo eles agido “no estrito cumprimento das obrigações estatutárias e regimentais a que estavam vinculados”. A decisão não contempla maiores detalhes dos atos que teriam sido praticados pelo autor da ação e que justificaram a abertura do inquérito maçônico. 

O juiz substituto Oyama Assis Brasil de Moraes, da 7ª Vara Cível do Foro Central de Porto Alegre, onde correu a ação, considerou os pedidos improcedentes e condenou o autor ao pagamento das custas processuais e dos honorários em favor dos advogados dos réus. Para o magistrado, o autor, que concordou com os preceitos da Maçonaria ao ingressar na sociedade, não conseguiu provar que a instituição cometeu ilegalidades na sua expulsão. 

“A pretensão de alteração dos estatutos da ré não vinga, uma vez que as alterações pretendidas devem se pautar pelo estatuto respectivo e segundo suas diretrizes, situação que não se verifica. Nesse norte, tendo sido assegurado ao autor a ampla defesa e o contraditório e não se extraindo qualquer ilegalidade na conduta dos réus, de rigor a improcedência da demanda”, finalizou o juiz na sentença.

Visualizações 123
Fonte: Bonde
Por: Redao
Data: 19/09/2018 22h06min


« anterior [1]  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  12  13  14  15  16  17  18  19  20  21  22  23  24  25  26  27  28  29  30  31  32  33  34  35  36  37  38  39  40  41  42  43  44  45  46  47  48  49  50  51  52  53  54  55  56  57  58  59  60  61  62  63  64  65  66  67  68  69  70  71  72  73  74  75  76  77  78  79  80  81  82  83  84  85  86  87  88  89  90  91  92  93  94  95  96  97  98  99  100  101  102  103  104  105  106  107  108  109  110  111  112  113  114  115  116  117  118  119  120  121  122  123  124  125  126  127  128  129  130  131  132  133  134  135  136  137  138  139  140  141  142  143  144  145  146  147  148  149  150  151  152  153  154  155  156  157  158  159  160  161  162  163  164  165  166  167  168  169  170  171  172  173  174  175  176  177  178  179  180  181  182  183  184  185  186  187  188  189  190  191  192  193  194  195  196  197  198  199  200  201  202  203 próximo »


Hospital do Câncer de Londrina


CONTATO
contato@nossoclick.com
antonio.zaneti@gmail.com
(43)99920-1893



TV Na Rua / CornelioDigtal / BandDigital- 2007 - 2014