:Carrasco de brasileiros, Cabañas retoma vida no México quase dez anos após levar tiro na cabeça

Carrasco de brasileiros, Cabañas retoma vida no México quase dez anos após levar tiro na cabeça - Cornelio Digital.com - O Portal da Família


Carrasco de brasileiros, Cabañas retoma vida no México quase dez anos após levar tiro na cabeça

Carrasco de brasileiros, Cabañas retoma vida no México quase dez anos após levar tiro na cabeça

Ex-atacante paraguaio é o auxiliar técnico do Cafetaleros de Chiapas, demonstra carinho pelo Brasil, é parceiro do meia BrunoTiago e sonha com novos na vida profissional e pessoal

Em janeiro de 2010, em um bar na Cidade do México, o então atacante do América-MEX Salvador Cabañas levou um tiro na cabeça, algo que mudou para sempre sua vida. Ficou em situação delicada, sua vida esteve sob risco. Tentou voltar a jogar (inclusive no Tanabi, de São Paulo), sem sucesso, perdeu quase tudo. Viu a fama e o dinheiro se transformarem em esquecimento e dificuldades. Quase dez anos depois do atentado que sofreu, ele voltou ao México e ao futebol. Mas desta vez para trabalhar fora das quatro linhas, como auxiliar técnico no Cafetaleros de Chiapas.

Cabañas tenta escrever no México novos capítulos da sua história pessoal e profissional, em um clube novo e com aspirações maiores (veja abaixo mais sobre o Cafetaleros de Chiapas). Querido por todos no elenco, ele tem relação especial com um brasileiro, Bruno Tiago. Nas resenhas diárias, o Brasil sempre está no assunto.

O paraguaio já foi carrasco de Flamengo e Santos na Copa Libertadores, e da seleção brasileira nas eliminatórias para a Copa do Mundo de 2010, na África do Sul. Sobre o Rubro-Negro, a histórica vitória por 3 a 0 no Maracanã nas oitavas de final da Libertadores de 2008, na despedida do técnico Joel Santana (havia acertado com a seleção da África do Sul), ainda está na memória do ex-atacante.

- É um cara que temos maior carinho, respeito. E automaticamente brinco muito com ele. Tem até um fato que conversamos em uma viagem. Ele até falou quando foi jogar contra o Flamengo pelo América-MEX, que tinha uma festa feita para o treinador (Joel Santana). Os brasileiros o chamavam de gordinho, e depois pela seleção paraguaia acabou fazendo gol sobre o Brasil - disse Bruno Tiago.

Cabañas é apresentado pelo Tanabi com a camisa 10

Cabanãs foi o carrasco da eliminação do Flamengo na Libertadores de 2008 e também do Santos. Nas quartas de final, no México, ele fez os dois gols na vitória por 2 a 0 no jogo de ida sobre o Peixe. Na volta, o América perdeu por 1 a 0 e avançou. Nas eliminatórias para a Copa de 2010, o Paraguai venceu o Brasil em Assunção por 2 a 0, o ex-atacante deixou sua marca. Mas o sentimento com o Brasil é de muito carinho, segundo Bruno Tiago:

- Ele tem um carinho enorme pelo Brasil, é uma coisa admirável. Sobre o carinho que tem pelos brasileiros, pergunto qual é o motivo. Ele diz: "Ir ao Brasil, jogar contra o Flamengo no Maracanã, jogar em times brasileiros sempre foi uma vontade que eu tive. Infelizmente não consegui realizar esse sonho. Mas o Brasil é um lugar que amo e tenho maior carinho, pela alegria das pessoas, a felicidade que tem na arquibancada". É legal a gente ver que um cara com a potência dele, o nome dele, ter esse carinho todo pelo nosso país.

Cabañas comandou o América-MEX em grande vitória sobre o Flamengo em 2008 — Foto: AP

Cabañas comandou o América-MEX em grande vitória sobre o Flamengo em 2008 — Foto: AP

Cabanãs trata a oportunidade no Cafetaleros de Chiapas como a maior chance de voltar a ter uma carreira no futebol. É próximo aos jogadores, tenta passar tudo o que viveu no mundo da bola, aproveita ao máximo o contato com o técnico argentino Gabriel Pereyra. Quer fazer parte do crescimento do clube, quer crescer fora das quatros linhas para seguir seu próprio e novo caminho:

- O mais legal disso tudo é que sempre tenta aprender bastante, buscando alternativas, conhecimento com outros treinadores, ouvindo bastante os jogadores. É uma coisa que ele já passou, tem muito mais conhecimento do que a gente. É uma coisa que agrega muito para o vestiário. Tem um peso muito grande, você olhar para o banco de reservas e ver a imagem dele. Cabañas, sempre que pode, senta com dois ou três para conversar. Passa um pouco o que ele vê do lado de fora do campo, acaba com uma visão um pouco melhor. E a gente acaba aceitando numa boa, agregando coisas positivas.

Cabanãs participa de evento com jogadores do Cafeteleros — Foto: Reprodução/Twitter

Cabanãs participa de evento com jogadores do Cafeteleros — Foto: Reprodução/Twitter

As resenhas de Bruno Tiago com Cabañas vão além do campo/bola. Segundo o brasileiro, família e situações vividas pelo paraguaio são comuns no bate-papo. A triste história que ele viveu hoje serve de exemplo para os jogadores e como combustível para novas páginas em sua biografia:

- Eu tenho um carinho e aproximação muito grande. Conversamos bastante sobre diversos assuntos, a maioria é sobre família. E um pouco também de futebol, tem uma ideia de futebol muito boa. É um exemplo de vida, a história que passou no futebol, perdeu muitas coisas, muitos amigos se esconderam. Muitas pessoas deram as costas para ele. Então, são coisas que a gente tem que ouvir mais e trazer para nossas vidas. É triste o que aconteceu, mas hoje em dia ele superou tudo, é um cara totalmente diferente. A vida ensinou também, é um cara que tenho carinho, respeito e admiração.

Cafetaleros: de Tapachula para Tuxtla Gutiérrez

O clube é novo, foi fundado em 2015, tinha como sede a cidade de Tapachula. Cresceu esportivamente, ganhou seguidores e conquistou o torneio Clasura de acesso em 2018. Venceu o playoff para jogar a elite mexicana, mas não tinha requisitos exigidos pela Federação Mexicana de Futebol. Faltava futebol de base e infraestrutura. Por isso, não subiu naquele ano. Então, se mudou para Tuxtla Gutiérrez, capital do estado de Chiapas.

Paraguaio chegou a trabalhar como padeiro

Salvador cabañas fazendo pão — Foto: Agência AFP

Salvador cabañas fazendo pão — Foto: Agência AFP

Ganhou corpo, estrutura, é o representante do estado agora no futebol mexicano. Com Cabañas & Cia, o sonho é disputar a elite. Conseguiu os certificados da Federação Mexicana e, portanto, precisa mais uma vez ganhar em campo a vaga entre os maiores do México.

- Com a transferências para Chiapas, o clube mudou o nome de Cafetaleros de Tapachula para Cafetaleros de Chiapas. Mudou por alguns requisitos da Federação Mexicana. São quatro anos, comecei junto com o clube nesse processo em 2015. Estou muito feliz. Foi bom, foi legal nosso título da Clausura e da competição do acesso. Porém, como não tínhamos o certificado com alguns requisitos da Federação Mexicana, tivemos que fazer essa mudança para Tuxtla Gutiérrez. Agora temos todos os requisitos, então foi uma mudança obrigatória para o clube por conta das leis - lembra Bruno Tiago.

Visualizações 23
Fonte: Globo Esporte
Por: Redao
Data: 04/10/2019 12h55min


    

JG FreiosSampei Cozinha ChinesaNoemi LanchesProdutos AlcobaçaBrasilnet Hospital do Câncer de Londrina
CONTATO

contato@nossoclick.com
antonio.zaneti@gmail.com
(43)99920-1893
TV Na Rua / CornelioDigtal / BandDigital- 2007 - 2014