:Votorantim vai usar caroço de açaí como fonte de energia

Votorantim vai usar caroço de açaí como fonte de energia - Cornélio Digital - O Portal de Cornélio Procópio e Região
Votorantim vai usar caroço de açaí como fonte de energia

A Votorantim vai substituir sua matriz energética (coque de petróleo, não renovável) pela queima de caroços de açaí como fonte de energia em sua fábrica de cimento no município de Primavera, nordeste do Pará. A empresa recebe o apoio do Governo do Estado, via secretarias de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme) e de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), que concedeu Selo de Prioridade ao projeto por meio de Protocolo de Intenções assinado no dia 14 passado.

Com este selo, todos os trâmites de implantação terão prioridade em órgãos do governo, como a própria Semas e o Corpo de Bombeiros. A intenção é garantir as vantagens da nova fonte energética o mais rápido possível. “O caroço de açaí é uma fonte renovável e hoje é um problema ambiental, mas assim se transforma em solução, explica o titular da Sedeme, Adnan Demachki. “Haverá uma diminuição significativa na emissão de C02 e a não-emissão de dióxido de enxofre, além de gerar alternativas novas de renda em municípios de baixo IDH e para famílias praticamente sem renda”. A previsão é de que a Votorantim irá consumir, por ano, mais de 100 mil toneladas de caroços de açaí.

A Votorantim está comprando os caroços secos (no máximo, 10% de umidade) da fábrica Ecobiomassa, de Igarapé-Miri, que por sua vez adquire os caroços “brutos” pela região (Abaetetuba, Mocajuba, Barcarena, Igarapé-Miri). Este ano, já foram transportados, em caminhões, 2,5 toneladas de caroços para Primavera.

“Este projeto piloto foi exitoso e a expectativa agora é fornecer numa escala maior”, informa o dono da Ecobiomassa, Marcos Tadeu Bragatto. “Isto resolverá o problema dos resíduos gerados pela grande quantidade de caroços em Igarapé-Miri e região e também será uma fonte a mais de renda para pequenos produtores”.

Reaproveitamento seria solução também para a capital paraense

Como a Votorantim é uma gigante, espera-se que este tipo de solução seja seguido por outras empresas, até para resolver também um problema sério em Belém: 50% dos resíduos sólidos produzidos na capital são caroços de açaí (130 mil toneladas/ano).

Em Igarapé-Miri e região, o recolhimento dos caroços se dá por meio de bags (recipientes de plástico que parecem sacos gigantes) que são colocados por um munch num caminhão e substituídos por outros vazios.

“A Política Estadual do Açaí, implementada pelo Governo do Pará, vai tornar este fruto uma coqueluche mundial”, garante Adnan Demachki. “A partir de ações da Sedeme, 12 empresas já ampliaram, estão ampliando suas instalações ou implementam novas indústrias, com vistas a verticalizar a cadeia em produtos com valor agregado”.

Com isto, a produção de caroços de açaí vai crescer exponencialmente e “precisamos transformar este fato, ao invés de um problema, em fonte de renda: quem se interessar pode procurar a Sedeme que apoiaremos os projetos”, conclui Adnan.

Pelo Protocolo de Intenções assinado com o Governo do Estado, a Votorantim se compromete também a apoiar a implantação de cooperativa de secagem de caroço de açaí; participar dos estudos de viabilidade de plantação e produção de capim-elefante para produção de biomassa e estimular a produção de açaí na região de atuação da indústria.

Por Edson Coelho


Aqui

Visualizações 259
Fonte:
Por: Redao
Data: 24/04/2018 11h53min

Hospital do Câncer de Londrina


CONTATO
contato@nossoclick.com
antonio.zaneti@gmail.com
(43)99920-1893



TV Na Rua / CornelioDigtal / BandDigital- 2007 - 2014